segunda-feira, 23 de agosto de 2010

SE**********************



SE************

Se puderes guardar o sangue frio diante

de quem fora de si te acusar, e, no instante
em que duvidem de teu ânimo e firmeza,
tu puderes ter fé na própria fortaleza,
sem desprezar contudo a desconfiança alheia...

Se tu puderes não odiar a quem te odeia,
nem pagar com a calunia a quem te calunia,
sem que tires daí motivos de ufania,
sonhar, sem permitir que o sonho te domine,
pensar, sem que em pensar tua ambição se confine,
e esperar sempre e sempre, infatigavelmente...

Se com o mesmo sereno olhar indiferente
puderes encarar a Derrota e a Vitória,
como embustes que são da fortuna ilusória,
e estóico suportar que intrigas e mentiras
deturpem a palavra honesta que profiras...

Se puderes, ao ver em pedaços destruída
pela sorte maldosa, a obra de tua vida,
tomar de novo, a ferramenta desgastada
e sem queixumes vãos, recomeçar do nada...

e tendo loucamente arriscado e perdido
tudo quanto era teu, num só lance atrevido,
se puderes voltar à faina ingrata e dura,
sem aludir jamais à sinistra aventura...

Se tu puderes coração, músculos, nervos
reduzir da vontade à condição de servos,
que, embora exausto, lhe obedeçam ao comando...

Se, andando a par dos reis e com os grandes lidando,
puderes conservar a naturalidade,
e no meio da turba a personalidade,
impávido afrontar adulações, engodos,
opressões, merecer a confiança de todos,
sem que possa contar, todavia, contigo
incondicionalmente o teu melhor amigo...

Se de cada minuto os sessenta segundos
tu puderes tornar com teu suor fecundos...

a Terra será tua, e os bens que se não somem,
e, o que é melhor, meu filho, então serás um Homem!
Free Pics Upload Photos View Photos

Carta ao filho, de Rudyard Kipling

Tradução de Alcantara Machado



6 comentários:

anita sereno disse...

por vezes gamos
por vezes perdemos
mas acredito que esse filho do nada
encontrara solução para recuperar
e triunfar
e ser o filho do bem
mil beijos com meus agradecimento pelos selos beijos na alma boa semana

Benjamin disse...

Lindo querida.
Prá você meu amor.

No arco-íris a tua cor
Nas estrelas o teu brilho
Na alegria teu sorriso...
Tanto te falei de amor,
Sem teus mistérios desvendar...
Mais se teus olhos me fitar, envolver
Juro, que nunca mais vou te esquecer...

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Obrigada, meu querido amigo.
Beijos.

Daniel Costa disse...

RENATA

De todo o humano capaz de, por natureza, seguir esses conselhos, dignifica o seu meio. que beleza de texto!
Beijos

ParadoXos disse...

um beijo de saudades amiga!!

Espaço do João disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.