sexta-feira, 29 de outubro de 2010

NOSSO AMOR




NOSSO AMOR

Nosso amor tem um clima de mistério.
Tem seus matizes tão próprios,
que sempre os levei à sério.
Se o dia parece tranqüilo, não temos pressa para nada.
Não vemos se é cedo ou tarde,
se é noite ou madrugada.
Amamo-nos sem perceber, cada minuto que passa.
Se noutro dia, entretanto,
com os corações agitados,
esse amor nos arrebata,
repleto em loucura, êxtase, emoção desenfreada,
amamos como se no tempo houvesse apenas um momento, um minuto.
Existem outros matizes, que enfeitam a nossa festa:
se prefiro a luz acesa,
queres mantê-la apagada.
Se queres o quarto escuro,
prefiro à meia-luz.
Se queres ter o domínio,
entrego-me a teus carinhos,
mas no momento seguinte,
não deixo ser dominada.
Eis pequeninos detalhes,
que neste ato de amor
nos aproxima e seduz.
Nosso mundo está aqui,
nosso momento é agora.
Porque no instante em que amamos,
a vida e o mundo, resumem-se a nós.
Já não há vida lá fora..
@ Maria de Fatima Delfina de Moraes



5 comentários:

O gerente disse...

Acho que as horas sao feitas para se amar. Batida de segundo em segundo é igual a pegada com desejo. BEIJOSSS RE!

(Obs:É segunda! Nem sabado nem domingo)

Jacarée disse...

"Nosso amor..." lá vem alegria vamos galopar descobrir momentos alimentar mistériosos, bate bate coração...por dias... formidáveis, indescritíveis, magnificos... AMOR vamos saborear prestar atençao todos queremos um mundo melhor.
Bjs em seu coração.

MM - Lisboa disse...

A sua página inspira.
Obrigada por passar no meu cantinho e pela força. bejinhos,
MM

Phivos Nicolaides disse...

Oi querida amiga Renata. O verdadeiro amor é um bem precioso. Obrigado pela sua visita e os desejos bela para a revista. Estar sempre bem e feliz. Bjos achocolatados. Viagens

Daniel Costa disse...

Querida Rê

Funcionou bem, como sempre a tua sensibilidade, para postares o presente poema de Maria de Fátima Delfina de Morais.
Apreciei.
Ternos beijos