terça-feira, 2 de novembro de 2010

NE ME QUITTE PAS






NE ME QUITTE PAS

Jacques Brel

Não me deixes
É preciso esquecer tudo
Tudo pode ser esquecido
Como o que já se foi
Esquecer o tempo 
Dos malentendidos
E o tempo perdido
Em saber como
Esquecer essas horas
Que às vezes matavam
Com tantos porquês
O coração da felicidade

Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes

Eu te oferecerei
Pérolas de chuva
Vindas de um país
Onde não chove
Eu atravessarei a terra
Até perto da morte
Para cobrir teu corpo
De ouro e de luz
Eu farei a mansão,
Onde o amor será rei
Onde o amor será lei
E tu serás rainha 

Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes

Não me deixes
Eu te inventarei 
Palavras insensatas
Que tu compreenderás
Eu te falarei
Daqueles amantes
Que por vezes viram
Seus corações se abrasarem
Eu te contarei
A história de um rei
Morto por não te haver
Podido encontrar

Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes

Por tantas vezes vimos
Ressurgir o fogo
Do antigo vulcão
Que se acreditava velho demais
Parece que havia
Terras queimadas
Dando mais trigo
Que na melhor primavera
E quando cai a tarde 
Para que o céu flameje 
O vermelho e o negro
não se mesclam? 

Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes

Não me deixes
Eu não vou mais chorar
Eu não vou mais falar
Eu vou esconder-me ali
Só para te ver
Dançar e sorrir
E para te escutar 
Cantar e depois rir
Deixa-me tornar
A sombra da tua sombra
A sombra da tua mão
A sombra do teu cão


Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes
Não me deixes


@ Tradução da Renata Cordeiro

Orkutei.com.br



2 comentários:

Daniel Costa disse...

Querida Rê

Sempre o eterno jacques Brel, bela recordação: "ne me quitte pas", ou não me deixes, mais entendível na tua tradução.
Maravilhodso post.
Beijos ternos

Vivian disse...

...nossa!!!

que delícia entrar aqui e
encontrar Maria Gadú
em linda interpretação
desta maravilha gostosa
de se ouvir pra sempre!

belo post menina!

deixo beijos procê!