terça-feira, 28 de dezembro de 2010

SONETO XVI, PABLO NERUDA



SONETO XVI
Pablo Neruda




Amo o pedaço de terra que és tu,

porque das campinas planetárias

outra estrela não tenho. Tu repetes

a multiplicação do universo.



Teus amplos olhos são a luz que tenho

das constelações derrotadas,

tua pele palpita como os caminhos.

que percorre na chuva o meteoro.



De tanta luz foram para mim teus quadris,

de todo o sol tua boca profunda e sua delícia,

de tanta luz ardente como o mel na sombra



teu corpo queimado por longos raios rubros,

e assim percorro o fogo de tua forma beijando-te,

pequena e planetária, pomba e geografia.



sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

DANCE COMIGO



DANCE COMIGO
Nouvelle Vague


Vamos dançar, pequeno estranho,

Mostre-me pecados secretos

Amor pode ser como escravidão

Seduza-me mais uma vez



Queimando como um anjo,

Que foi suspenso do paraíso,

Queimando como o homem voodoo

Com demônios em sua capa



Por que não dança comigo?

No meu mundo da fantasia

Por que não dança comigo?

Ritual da fertilidade



Como um fantasma

Você não parece real

Como uma premonição

De maldições em minha alma



Do jeito que eu quero amá-lo

Bem, poderia ser contra a lei

Eu o tenho visto em milhares de mentes

Você tem feito os anjos caírem



Porque não dança comigo?

No meu mundo da fantasia

Porque não dança comigo?

Ritual da fertilidade



Venha cá pequeno estranho

Há somente mais uma dança

Até a música se acabar

Vamos dar mais uma chance a isso



Por que não dança comigo?

No meu mundo da fantasia

Por que não dança comigo?

Ritual da fertilidade



Aproveite essa chance comigo!

No meu mundo da fantasia

Por que não dança comigo?

Ritual da fertilidade.