segunda-feira, 3 de março de 2014

A FILOSOFIA DO AMOR






O Bem é o centro magnético para o qual o amor se dirige naturalmente. O amor falso se dirige para o falso Bem. O amor falso abraça uma falsa morte. Quando o verdadeiro Bem é amado, mesmo de maneira impura ou por acidente, a qualidade do amor fica, de imediato, refinada. Quando a alma está voltada para o Bem, a parte superior da alma se anima. O amor é a tensão entre a alma imperfeita e a perfeição magnética que imaginamos encontrar para-além. Se tentarmos amar de forma perfeita o que é imperfeito, nosso amor se entregará ao seu objeto através do Bem, para ser purificado e se tornar generoso e justo. O amor é o nome geral da qualidade de apego; pode imensamente degradar-se e é a fonte dos nossos maiores erros. Ainda que seja, em parte, refinado, o amor é a energia e a paixão da alma na sua busca de Deus, a força que nos vincula no cerne Bem, assim como no cerne do mundo, por meio do Bem. A sua existência é o sinal inegável de que somos criaturas espirituais, atraídas pela excelência, e feitas para o Bem. É o reflexo e a luz do Sol.

Iris Murdoch (1919-1999)

Traduzido por Renata Cordeiro