domingo, 8 de junho de 2014

OLHOS CLAROS, SERENOS



OLHOS CLAROS, SERENOS

Olhos claros, serenos,
se de um tão doce olhar sois celebrados,
por quê, quando me olhais, olhais irados?
Se quanto mais piedosos
mais lindos pareceis a quem vos mira,
não me olheis assim com ira
senão parecereis menos formosos.
Ai, tormentos raivosos!
Olhos claros, serenos,
Se assim me olhais, olhai-me pelo menos.

GUTIERRE DE CETINA (1520-1557)
Tradução de Renata Cordeiro