quarta-feira, 30 de julho de 2014

BREVE EXPOSIÇÃO SOBRE A SAUDADE



BREVE EXPOSIÇÃO SOBRE A SAUDADE

É inexata a idéia que outras nações desconheçam esse sentimento. Ilusória é a afirmação... que o mesmo vocábulo Saudade... não seja sabido dos Bárbaros estrangeiros, não tenha equivalente em língua alguma na Galiza de além-Minho.
Com essas palavras, Carolina Michaëlis, a maior estudiosa da saudade portuguesa quer demonstrar as várias semelhanças da palavra em questão com vocábulos de outros idiomas, a saber:
1) do castelhano soledad soledades;
2) do asturiano senhardade, singularitate;
3) do galego morrinha, derivado popular de morrer;
4) do catalão anoyoransa, anyorament (de nojo = tédio); aqui o verbo é usado sempre com o significado de  desiderare. Na linguagem arcaica, dizia-se enyorar, enyoransa, enyorament. Além dessas formas, havia entreyorar, cuja etimologia é ignorare, o que corresponde ao castelhano entraña, português entranhar-se, francês entraille.
5) Plena concordância há, porém, entre saudade e a Sehnsucht dos alemães. Mas, em geral, a Sehnsucht alemã tem caráter metafísico.
6) Também os vocábulos suecos längtan, este equivalendo a desejo, saudade, almejo, e längta, equivalendo a almejar, ter saudade.
Para terminar, em português, saudade pode também significar saúde, salvação, saudação e lembranças: “Lembranças à patroa” é o mesmo que dizer “Saudades à patroa”.

@ Renata Cordeiro