domingo, 17 de agosto de 2014

TEUS OLHOS


TEUS OLHOS

São teus olhos, meu bem, negros diamantes
em que reluz o sol do meio-dia;
olhos cheios de erótica poesia,
de chamas e promessas embriagantes.

Teus olhos são espelhos fulgurantes
que refletem a linda Andaluzia
com sua pompa, encantos e alegria,
seus campos e seus céus tão deslumbrantes.

Quando assomo às pupilas muito belas,
vejo pomares, mais árabes paços,
mares de prata e luz, noites de estrelas,

pátios floridos, feiras buliçosas,
a Giralda sorrindo nos espaços,
e muito amor nos céspedes e rosas.

MANUEL REINA (1856-1905)

Tradução de Renata Cordeiro