terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

UMA JANELA PARA O AMOR




UMA JANELA PARA O AMOR

Grã-Bretanha, 1985
Direção: James Ivory
Roteiro: Ruth Prawer Jhabvala (baseado no livro de E.M. Foster “A Room with a view”)
Com: Maggie Smith, Helena Bonham Carter, Denholm Elliott, Julian Sands, Simon Callow, Patrick Godfrey, Judi Dench, Fabia Drake, Joan Henley, Amanda Walker, Daniel Day-Lewis, Maria Britneva, Rosemary Leach, Rupert Graves, Peter Cellier.
Fotografia: Tony Pierce-Roberts
Título Original: A Room With a View
Comédia romântica/Filme de Época




No último ano do século XIX, Lucy, uma jovem inglesa, e o seu "chaperon", Charlotte, viajam pela Itália. No hotel onde se hospedam em Florença, conhecem outros hóspedes, entre eles os Emerson, pai e filho. George Emerson recebeu do pai uma educação liberal e não faz cerimônia em roubar um beijo a Lucy, mal a apanha a sós.



Charlotte, que aparece nesse instante, fica tão escandalizada e atribui ao incidente tamanha gravidade que parte precipitadamente com Lucy para Inglaterra. Algum tempo depois e já em Inglaterra, George vai viver com a família numa pequena cidade nos arredores de Londres, onde encontra Lucy. Esta, entretanto, ficara noiva de Cecil, um jovem abastado e presunçoso, completamente o oposto de George. E quando este surge novamente e tenta conquistar Lucy, ela, embora comece por repudiá-lo, logo rompe o noivado com Cecil e se casa com ele.

A lua de mel é passada em Florença, no mesmo hotel em que haviam travado conhecimento.



O filme trata da história de uma jovem que vai a Florença com o seu "chaperon" e lá ambas se desencantam com o quarto que lhes é dado no hotel, pois não tem vista para o Arno. Então, conhecem um inglês e o seu filho que lhes propõem trocar o seu quarto pelo delas. A partir disso, desenvolve-se uma relação entre o rapaz excêntrico e a moça. Quando volta a Londres, ela tem que decidir se desposa aquele que já era seu noivo antes da viagem à Florença, e que representa os bons modos e as tradições britânicas (ou seja, um perfeito dândi) do último ano do século XIX ou se deixa o seu coração falar mais alto e escolhe o rapaz excêntrico. É claro que a pressão social é forte para que ela ouça a voz da razão e não a do coração. Mas como já dizia Pascal, “o coração tem razões que a própria razão desconhece”.

O ritmo do filme é lento, mas se adapta muito bem ao mundo esnobe que é descrito na película: o da burguesia inglesa (os que assistiram a “Titanic” encontrarão em “Uma Janela para o Amor” a mesma atmosfera). O figurino, os cenários e os lugares da filmagem foram escolhidos com muito cuidado e são um regalo aos olhos.

Os atores são ótimos. Destaque para as performances de Helena Bonham Carter, que representa uma perfeita senhorita inglesa, e Julian Sands, que atua como um excêntrico. Cumpre também ressaltar o desempenho de Judi Dench, Denholm Elliott, Daniel Day-Lewis, um perfeito dândi, bem como o de Maggie Smith e o de Denholm Elliott, que valeram a ambos uma nomeação para os Óscares da Academia de Hollywood.

O roteiro é interessantíssimo, pois se baseia no romance de E.M. Foster “A Room with a View”, e suscita interesse do começo ao fim. Sem dúvida alguma, trata-se de um excelente filme.