segunda-feira, 25 de abril de 2016

UM SEGREDO DE AMOR



UM SEGREDO DE AMOR


"Minha esposa ficou doente. 
Nosso relacionamento estava a ponto de acabar. A beleza dela estava deixando-a. Ela tinha bolsas sob os olhos, cabelos desgrenhados. Ela parou de cuidar de si mesma. Recusou-se a fazer filmes e rejeitou cada papel. Perdi a esperança e pensei que iríamos nos divorciar em breve... 
Foi então que eu decidi agir. Afinal, eu tenho a mulher mais bonita do planeta. Ela é a mulher ideal para mais da metade dos homens e mulheres da Terra, e eu o único que tinha permissão para dormir ao seu lado e abraçá-la. Comecei a mimá-la com flores, beijos e muitos elogios. Surpreendia-a e tentava agradá-la em todos os momentos. Enchi-a de presentes e comecei a viver apenas para ela. Só falava em público a seu respeito e relacionava todos os assuntos a ela, de alguma forma. Elogiei-a a sós e em frente a todos os nossos amigos.
Vocês podem não acreditar, mas ela começou a renascer, a florescer… Tornou-se ainda melhor do que era antes. Ganhou peso, parou de ficar nervosa e me ama ainda mais do que antes. Eu nem sabia que ela podia amar tão intensamente.
E então eu percebi uma coisa: 'A mulher é o reflexo de seu homem'.
Brad Pitt".

sábado, 23 de abril de 2016

QUATRO SÉCULOS SEM MIGUEL DE CERVANTES, A CIGANINHA



A CIGANINHA


Quando Preciosa o pandeirinho toca


e fere o doce som os ares vãos,


são pérolas que espalha com as mãos;

e são flores que saem dessa boca.


Suspensa a alma, e a cordura muito louca,

seus doces atos mais que humanos são

que por limpos, honestos e mui sãos,

a sua fama alcança o céu e o toca.


Pendentes no menor dos seus cabelos

mil almas leva, e em suas plantas tem

amor algumas flechas dominadas.


Cega e alumbra com sóis deveras belos,

seu império amor por elas mantém

e outras grandezas mais são suspeitadas.  


MIGUEL DE CERVANTES (1547-1616)

Tradução de Renata Cordeiro

quinta-feira, 21 de abril de 2016

SERES VIRTUAIS



SERES VIRTUAIS


Pedaços que se encaixam

Sorrisos que se encontram

Vontades que se desejam,

Toques que já se sentem.

O silêncio que se rompe no teclar,

As vidas que se encontram a cada pensamento

O sonhar que se agita a cada segundo

Faz-nos crescer em sentimentos.

Os desejos que se cruzam,

Rompem as feridas deixadas pelo tempo.

Perdidos em delírio o vôo é lançado,

E o pouso se dará

Somente no horizonte mais brilhante

Aonde chegaremos a qualquer hora,

Sem sequer sairmos do lugar.

@ Renata Cordeiro




quinta-feira, 14 de abril de 2016

AFINIDADE


AFINIDADE


Não é o mais brilhante,
Mais é o mais sutil,
 Delicado e penetrante dos sentimentos.
Não importa o tempo, a ausência,
Os adiantamentos, a distância, as impossibilidades.
Quando há afinidade,
Qualquer reencontro retoma a relação,
O diálogo, a conversa,
O afeto, no exato ponto
De onde foi interrompido.
Afinidade é não haver
Tempo mediante a vida.
É a vitória do adivinhado sobre o real,
Do subjetivo sobre o objetivo,
Do permanente sobre o passageiro,
Do básico sobre o superficial.
Ter afinidade é muito raro,
Mas quando ela existe,
Não precisa de códigos
Verbais para se manifestar.
Ela existia antes do conhecimento,
Irradia durante e permanece depois que as
Pessoas deixam de estar juntas.
Afinidade é ficar longe,
Pensando parecido a
Respeito dos mesmos fatos que
Impressionam, comovem, sensibilizam.
Afinidade é receber o que vem
De dentro com uma aceitação
Anterior ao entendimento.
Afinidade é sentir com...
Nem sentir contra, sem sentir para...
Sentir com e não ter necessidade de
Explicação do que está sentindo.
É olhar e perceber.
Afinidade é um sentimento singular,
Discreto e independente.
Pode existir a quilômetros de distância,
Mas é adivinhado na maneira de falar,
De escrever,
De andar,
De respirar...
Afinidade é retomar a relação
No tempo em que parou.
Porque ele [tempo] e
Ela [separação] nunca existiu.
Foi apenas a oportunidade dada/tirada
Pelo tempo para que a maturação
Pudesse ocorrer, e que cada
Pessoa pudesse ser cada vez mais.

Artur da Távola

domingo, 10 de abril de 2016

E POR FALAR EM AMOR...



E POR FALAR EM AMOR...


"Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo à porta. O amor não é chegado em fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca."


Arnaldo Jabor

terça-feira, 5 de abril de 2016

PARA UM SER *BE HAPPY*


PARA UM SER *BE HAPPY*

Precisamos de tempo para fazer também o que nos apetece. Tempo para namorar, tempo para rir com as baboseiras dos amigos, tempo para dançar descalços na praia, tempo para mergulhar nas ondas com os filhos, ou sós, e rir da cara de besta que fazemos quando nos pomos de pé, onde quer que seja. Existe a pessoa perfeita? Não! Mas a maior parte de nós passa o tempo correndo atrás dessa perfeição, ao passo que o desafio é sermos autênticos. E aceitar para ter ao nosso lado alguém que nos aceite assim. Como somos, perfeitos, ou não.



2010 May, Happy.

trad. and adap. by Renata*